Welcome to our website !

Não Sabem o Que Me Aconteceu Hoje! por Carina Barbosa

By 00:00 , , , , , ,

Boa noite a todas e a todos! Hoje, subitamente lembrei-me de partilhar com vocês alguns dos meus percalços episódios em Coimbra.
          Sempre que saio de casa para me encontrar com as outras Idiotas tenho sempre um disparate uma novidade para lhes contar. Não são coisas do outro mundo o que às vezes não é bem assim, são situações do quotidiano que me fazem perder a respiração, entrar em transe ou perguntar a Deus porque é que só me acontece disto a mim.

PS: Os acontecimentos que se seguem não estão por ordem cronológica. O meu cérebro não retém tantos pormenores.


Episódio 1 - Um dia de estudo muita conversa tinha acabado. Lá ia eu feliz e contente a morrer de frio de regresso a casa, quando uma senhora me aparece no caminho e pede um minutinho do meu tempo. Como sou uma pessoa extremamente simpática e não consigo dizer que não às pessoas, aceitei conversar com ela até que a senhora me apresenta um panfleto das Testemunhas de Geová (não tenho nada contra, respeito e até tenho curiosidade em saber o que cada religião defende mas em momentos onde o frio aperta é natural que queira ir embora).Fala, fala, fala e eu, sempre a ouvi-la com vontade de fugir dali! Assim que a senhora me pede o contacto digo-lhe que estou com pressa e vou-me embora. Não sei porquê, mas já em Viana era abordada nas mesmas circunstâncias. Será que ando com um letreiro a dizer: "Interessada em religiões"??

Episódio 2 - A última quinta-feira académica, antes das férias da Páscoa. Supostamente seria uma noite de arromba para muitas danças e bebedeiras, conhecer pessoas, fazer rally a todos os bares de Coimbra, acabou numa caminhada de longa duração entre as ruas de Coimbra e as casas de banho do Low Kost e finalizou com uma baguete horripilante só com pasta de atum e sem salada ando eu a pagar merdices . Estúpida Inteligente como sou aventurei-me a ir a pé para casa. 15 minutos em ruas desertas, mal iluminadas a falar a telemóvel com a Sacaninha e a Lontra. Ia eu congelada e medrosa a falar mal dos velhos que apanhavam as beatas dos cigarros do chão quando ouvi passos pesados baterem no chão e aproximarem-se. Estava eu a tremer por todos os lados, a acelerar o passo e a dizer "vem alguém atrás de mim!" quase aos berros quando um rapaz passa a 1 milímetro de mim a correr. Mando um grito e estaco a meio do caminho. O rapazito olha para mim e casca-se a rir. Até era engraçadito, mas só me apercebi disso um bocadinho tarde de mais. As outras duas riram-se, riram-se e riram-se quando lhes contei. Queria ver se fosse com elas...

Episódio 3 - Outro regresso a casa à noite mas desta vez muito mais creepy. Desta vez, a viagem a pé foi muito mas muito tranquila. Não se via ninguém na rua, só um sem abrigo que lá andava a apanhar os restos do tabaco do chão , viaturas abandonadas e euzinha amarrada ao telemóvel como se fosse uma arma mortífera.
"Estás aí? Não me deixes sozinha que isto mete medo ao susto" dizia uma individua (eu não certamente). Ou porque o cão ladrava e eu tremia, ou porque o cão tinha o focinho em cima do passeio e eu fugia, ou porque o silêncio era mórbido eu estava ATERRORIZADA. Calmamente, me aproximei da última subida antes de casa. Imaginam o que se segue? Deixem estar, eu também não imaginava. Um grupo de alcoólicos drogados estava na rua. Eram gajas aos berros e gajos amarrados às garrafas, enquanto eu subia a estrada para evitar o passeio ocupado por eles a obrigar a Raquel a falar-me do trabalho de Filosofia, certamente a minha maior preocupação momentânea.
A chamada só foi ao fundo quando finalmente entrei no meu quartinho e suspirei.

Episódio 4 - Espero que os meus pais não vejam isto ou sou deserdada, não é que eu tenha muito para herdar. Estava eu à porta dos SMTUC linda, maravilhosa e muito estilosa à espera da Raquel quando um rapaz se dirige a mim a perguntar-me a localização da Rodoviária. Lá lhe indiquei o caminho, com o máximo de pormenores possíveis não ia o rapaz perder-se em Coimbra, ainda para mais, vinha de Leiria (se é que é verdade o que ele disse). Quando me despedi dele e me preparei para ir embora ele diz-me "Só te pedi informações porque te achei muito gira" PS: Não sou convencida nem estou aqui para me armar mas isto é um facto verídico da minha vida em Coimbra. Lá me disse o nome, e foi embora. Não foram trocados contactos, nem moradas, somente uma ténue memória perdura. prova disso é que já nem me lembro o nome dele.
Chega a Raquel toda tola a resmungar comigo do género: "Passo por ti, nem me vês, nem olá nem adeus, estavas metida numa bolha completamente! Vá lá que ele era giro! Então e o número?" Pois, esse fugiu.

Episódio 5 - Vi a versão portuguesa do Robert Pattison em Coimbra!! Muito parecido, cabelo e tudo! A única diferença: as pernas do português são muito lingrinhas!!

Espero que se tenham divertido com estes meus desabafos. Pessoalmente espero não ter de os vivenciar novamente o meu coração morria. Beijinhos e muitas felicidades da vossa Princesa <3

You Might Also Like

1 comentários

  1. Este post realmente...parecem as minhas peripécias. Ora lê só: http://atualidadesbyclaudia.blogspot.pt/2015/04/ha-coisas-do-caracas.html

    ResponderEliminar